28 julho 2010

Obama, um mandato e muitos Leaks


Assim não é fácil, se o buraco foi um acidente, desleixo ou um acto criminoso contra a humanidade, a fuga de informações confidenciais sobre o Afeganistão, que foram parar ao famoso site Wikileaks, não terá sido um acidente, mas sim um acto de alta traição aos EUA, que poderá por em risco não só soldados americanos, mas também os soldados das forças aliadas, estacionadas no Afeganistão e que lutam por uma maior segurança na região e ao povo Afegão, livre da sharia Taliban.

Obama não está com a vida fácil na Casa Branca, e tem sido um verdadeiro tapa-buracos, no entanto acha que:
"These documents don't reveal any issues that haven't already informed our public debate on Afghanistan."

Até pode ter razão, mas se não descobrirem o traidor, a fuga de documentos confidenciais, irá continuar a verter, tal e qual o buraco no Golfo do México.
A liberdade de expressão é muito bonita, desde que não comprometa os direitos e liberdades dos outros.

Numa consulta ao wikileaks sobre Portugal, encontramos curiosos factos sobre,
o caso Madeleine, o TGV, Intelligence no Iraque, Timor, até mesmo o caso que ficou conhecido como Lisboagate com a lista das casas da CML, e respectivo arrendamento por valores irrisórios a famosos inquilinos (políticos, funcionários do Estado e da própria câmara, artistas e intelectuais).

Sem comentários: