24 junho 2009

Caça aos piratas

Na Rússia, estão disponíveis para compra viagens de «caça aos piratas» na costa da Somália, a bordo de iates privados com armamento de guerra.

Por 4100 euros, os utilizadores podem patrulhar as águas actualmente mais perigosas do mundo, na esperança de serem atacados. O trajecto tem início em Djibouti (Somália) e termina em Mombasa, no Quénia.
Quando são atacados, retaliam com lança-granadas, metralhadoras e lança-foguetes, avança o jornal austríaco Wirtschaftsblatt.
Os passageiros que pagarem mais 5 libras (cerca de 5,80 euros) por uma metralhadora AK-47 e outras 7 libras (cerca de 8,20 euros) por um cartucho de munições, beneficiam da protecção de um esquadrão de antigos membros de forças especiais.
«Eles são piores que os piratas», afirmou o russo Vladimir Mironov, que diz que «ao menos os piratas têm a decência de fazer reféns, ao passo que estas pessoas estão a pagar para cometer homicídio».

Fonte: Diário Digital

Sem comentários: