16 dezembro 2008

Portugal passou a ser popular entre detidos de Guantánamo

Portugal passou a ser um país muito popular entre os detidos de Guantánamo desde que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, anunicou a disponibilidade de receber alguns. «Todos a quem falámos (da oferta do governo português) ficou contente com a ideia», disse Clive Smith, director da organização de defesa de direitos humanos Reprieve e defensor jurídico de 30 detidos.
«Portugal é um lugar muito popular em Guantánamo nesta altura!», garantiu.
Luís Amado deu conta da disponibilidade de Portugal para acolher detidos de Guantánamo a 10 de Dezembro, numa carta enviada aos homólogos da União Europeia, a propósito do 60º aniversário da Declaração dos Direitos Humanos.
Smith disse à Lusa ter discutido a hipótese com todos os clientes e que estes «não querem outra coisa senão sair dali e ir para Portugal».
O advogado afirmou não ter dúvidas de que muitos detidos preferem instalar-se noutro país diferente do deles porque «se eles regressarem serão torturados».
O desafio será agora que outros países adiram à posição portuguesa, em especial o Reino Unido e Itália, que «deviam receber as pessoas que viviam ali como residentes», nomeadamente três argelinos no Reino Unido e oito tunisinos em Itália.
«Se Portugal ajudar nisto, iniciará uma relação muito positiva com a futura administração Obama, além de ser um óptimo exemplo para o mundo islâmico - e onde Portugal será muito mais popular também», concluiu.
Diário Digital / Lusa

"US welcome Portugal Guantanamo offer"

1 comentário:

LuísQI disse...

Com os gajos da casa pia e os banqueiros corruptos, não sei se irá haver espaço para tanta gente mas sem dúvida que ficavamos bem vistos.