29 dezembro 2008

Fim das tréguas...


Estranho este sentido de justiça da comunidade internacional, lenta para criticar aqueles que rompem com tréguas mas rápido a criticar aqueles que são atacados e que têm o todo direito de se defenderem!


Sexta-feira, 19/12/2008
Forças palestinianas do Hamas atacaram Israel com três mísseis, no primeiro dia após o anúncio de fim da trégua, que durava há 6 meses. (Comunidade internacional manteve-se no silêncio)
Quarta-feira, 24/12/2008
Palestinos disparam chuva de mísseis e morteiros contra Israel. Cerca de 60 mísseis e morteiros foi lançada na madrugada de quarta-feira contra Israel. (Comunidade internacional continuo no silêncio)
Quinta-feira, 25/12/2008
A chanceler de Israel, Tzipi Livni, advertiu que Israel colocará fim ao domínio do grupo islâmico Hamas na Faixa de Gaza. (O aviso...)
Sexta-feira, 26/12/2008
O aviso de uma resposta de Israel não impediu que milicianos do Hamas lançassem hoje foguetes e morteiros contra Israel.
(presidente palestino e líder do Fatah, Mahmoud Abbas, declararou: pedimos a eles (Hamas) para 'por favor, não suspender a trégua. Pedi para deixá-la continuar para que pudéssemos evitar o que aconteceu.)
(O político egípcio Hassan Nafaa escreveu no jornal independente Al Masry Al Yom: -O Hamas parece ser o inimigo comum do Egipto, de Israel e da Autoridade Palestina).
Sábado, 27/12/2008
Uma ofensiva militar israelense contra a "infraestrutura terrorista" do grupo islâmico Hamas na Faixa de Gaza deixou pelo menos 282 mortos e centenas de feridos. Israel afirmou que os ataques de hoje são "apenas o começo" da chamada "Operação Chumbo Fundido", que tem por objectivo oficial reprimir o Hamas pelo lançamento de mísseis Qassam contra território israelense desde a Faixa de Gaza. Líderes do grupo atacado convocaram os palestinos à "vingança". (A resposta aos ataques dos Hamas)
Domingo, 28/12/2008
UE exige o «fim imediato» de bombardeamentos israelitas.
O alto representante europeu para a Política Externa, Javier Solana, apelou igualmente a um «cessar-fogo imediato» em Gaza, acrescentando que «é preciso fazer tudo para renovar a trégua».
O governo venezuelano manifestou sua "profunda indignação ante o criminoso ataque que constitui o bombardeio de Israel contra o povo palestino na Faixa de Gaza".
O papa Bento XVI implorou neste domingo pelo fim da violência e pelo restabelecimento da trégua em Gaza.
Milhares de manifestantes, em especial no mundo árabe, mas também em vários países europeus, saíram hoje às ruas em repúdio pela ofensiva israelita contra a Faixa de Gaza.
...e apenas uma voz para criticar os ataques do Hamas: "Condoleeza Rice condena ataques do Hamas a Israel"

Sem comentários: